Generalidades Sociedade Márcio Rubens

O VERDE AMARELADO TOMOU CONTA DA TERRA DOS OBIDENSES

Neste artigo o autor busca nos mostrar as peculiaridades da terra dos obidenses, no Estado do Pará, em que em meio às diversas surpresas do dia a dia é possível acordar e se deparar com a cidade repleta de flores [...]

O VERDE AMARELADO TOMOU CONTA DA TERRA DOS OBIDENSES

Percorrer as ruas do município de Óbidos, Pará – Brasil, trás consigo sempre um aspecto inusitado, porque assim como podemos nos deparar com um detalhe bem peculiar, como encontrar um prédio com valor histórico e cultural, encontrar um vendedor de minibom (hahaha), encontrar um vendedor de berlinda (bolinho de chuva), comer um croquete, mas só se for de macaxeira, ah, tem tanta coisa… podemos ter uma surpresa de época.

Mas também, observe, vivemos em uma terra que ainda mantém muito do natural, e esse elemento, o natural, ainda se faz com muito respaldo, pois se você for pela manhã em um mercado de peixes, irá encontrar um tambaqui de seis a doze quilos, um apapá amarelo, o acarí, um tamuatá, o pirarucú e o mapará, o furinha e o curimatá, nem que seja só para rimar. Mas tudo muito natural, pego no dia, fresquinho.

Ah, são tantas as surpresas que de repente em meio ao natural viver nesta terra, de lagos abarrotados de vida para todos os lados, de igarapés de água gelada e gostosa, que depois de uma noitada na praça de Sant’ Ana um banho bom revigora e levanta a cabeça, ou só para ficar de molho… e aproveitar o que é bom até as mãos ficarem enrugadas e os beiços roxos. As crianças que o digam.

Em meio a tudo isso e o verde transbordando da serra para a cidade, exportando fotossíntese para esta terra, enquanto que lá fora é caos, destruição, desmatamento, selvas de pedra e icebergs gigantes fazendo todos tremer.

Aqui você acorda e se depara com um verde amarelado ou amarelado esverdeado, que toma conta das ruas em que você pode dizer, mas olha que bom que eu vim viver e ver essa maravilha que é estar em Óbidos em pleno período de férias, junto à Sant’ Ana, perto do meu amor, na terra dos pauxis ou fivela, o que importa? O bom mesmo é ver tão bela e maravilhosa a terra do meu povo e poder me deparar com os Ipês ou Pau D’arcos esbanjando alegria, cor e harmonia, pelas ruas, para mim e para você,  só para que o mundo todo possa saber que aqui a vida flui noite e dia.

Por Márcio Rubens

Ajude a manter este Blog, faça sua doação





Sobre o autor | Website

Márcio Rubens é Licenciado Pleno e Bacharel em História pela UFPA

Cadastre-se!

Receba atualizações do site

e Ganhe livros, é Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Obrigado por seu comentário

2 Comentários

  1. Ronivaldo Pereira Obrigado pelo por acompanhar nosso trabalho…estamos felizes por tê-lo por aqui…

  2. Ronivaldo Pereira de Abreu disse:

    Lindas fotos meu amigo, belíssimo trabalho companheiro sucesso…